sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Boletim Janeiro 2013

Ao mesmo tempo em que se ouve falar mais sobre os direitos dos animais e que abandono e maus tratos é crime, cresce, de forma espantosa, a estatística deste ato criminoso. Já é sabido que fim de ano e reveillon esse número aumenta consideravelmente, mas desta vez tivemos um record na aldeia (e não só lá, em muitos outros pontos de abandono também).
Foram inúmeros animais abandonados na aldeia, mais de 30 cães (e só 07 resgatados!), e muitos, muitos gatos (e apenas 13 resgatados!). E como lidar com esta situação desesperadora? Não há espaço nem dinheiro suficiente para tantos casos. São mais de 500 animais, entre cães e gatos, para serem alimentados e tratados. A ração nunca é suficiente e é sempre muito difícil arrecadar a quantidade mensal necessária. Não há voluntários fixos, ninguém quer se envolver. Algumas poucas pessoas contribuem mensalmente, mas é pouco, muito pouco, diante de tamanho descaso.

Lá na aldeia é assim:

O homem branco abandona seus animais em frente a aldeia para ficarem vagando por entre os carros, correndo o risco de serem atropelados, e muitos são. Duas cadelinhas atropeladas foram resgatadas no Natal, foram operadas, mas uma delas não resistiu.

 
O homem branco abandona dentro da aldeia animais debilitados, doentes, filhotes, velhos, com bicheira, lotados de pulgas, com vermes, deficientes... e acha tudo muito normal.
 

 
O homem branco não castra seus animais, tem preguiça, dó, acha besteira. Então aquele monte de filhotes indesejados, cadelas quase parindo, bebezinhos com cordão umbilical são despejados na aldeia como se fossem lixo. 
 

 
E todos estes animais ficam lá, abandonados a própria sorte. Alguns nós resgatamos, mas a grande maioria não, porque não há espaço para todos, não há recursos. Se derem sorte, vão sobreviver, do contrário, morrem: ou de fome, ou de frio, ou doentes, ou de tristeza.
 
 
 
E sabe quem cuida de todos estes animais? Quem os acolhe com compaixão? Que abraça suas feridas, sem nojo, sem medo? Eles, os indígenas! Como muitos enfatizam com desprezo: "Aquela gente, preguiçosa, suja, sem educação". Sim, "essa gente" é quem cuida de mais de 500 animais, que não lhes pertence, e que nunca eu vi reclamar. Reclamam sim, dos brancos! que lhes empurram todos estes animais, os chamam de vagabundos, colocam seus filhos em contato com diversas doenças trazidas por animais doentes, e que além de roubarem suas terras, ainda se acham cheios de razão.
 
E é no jogo do "empurra" que a aldeia sobrevive as mais adversas condições. Indios e animais estão a mercê dos interesses politicos, do descaso do governo e da sociedade. Sim, porque aqui no Brasil é assim que funciona, aldeias são transformadas em "favelas" e animais são tratados como se fossem lixo. Vivemos numa sociedade em que muito se fala e pouco se faz, numa sociedade em que a vaidade e o egoísmo caminham juntos.
 
A nossa parte nós fazemos, mas é preciso mais, é preciso que a sociedade se mova em favor deles, que lute por eles, que faça valer seus direitos.
 
Foram distribuidos:
88 sacos de ração para cães sendo: 50 sacos comprados, 10 sacos recebidos do Laicão, 07 sacos recebidos da Ana Cristina; 14 sacos doações diversas, 07 sacos sendo: 02 sacos de 25 kg, 04 sacos de 15 kg e 01 saco de 10 kg recebidos do Max Cielo.
TOTAL: 1.320 kg de ração para cães
+ 10 sacos de ração para gatos (comprados) = TOTAL 250kg

Quem puder colaborar mensalmente com a alimentação dos cães, compramos ração Fabene direto com o distribuidor a R$ 35,72 o saco de 15 kg.

Compramos ração para gatos, marca Mitsy, saco de 25kg por R$ 58,00. É difícil alguém se lembrar que os gatos também precisam comer, então por favor, quem puder colaborar, pode ser depositando o valor ou doando qualquer outra marca.

Lembrando que a prestação de contas está disponível para todos que queriam tomar ciencia de como as doações são usadas, é só entrar em contato com a Cida, que tem tudo arquivado e bem detalhado: Cel.: (11) 9 9612-9542 / E-mail: carv4@terra.com.br

As contas de uso exclusivo da aldeia para doações são:

BRADESCO: AGÊNCIA 0910-5 CONTA CORRENTE 03094-5
(Em nome de: Maria Aparecida Carvalho)


ITAU: AGÊNCIA 6906 CONTA CORRENTE 14955-1
(Em nome de: Maria Aparecida Carvalho)


É importante nos avisar do depósito e em qual banco foi feito.

Para maiores informações:
Andréa Sevaroli - Cel.: (11) 9 9134-0353 / E-mail: asevaroli@gmail.com
Cida Carvalho - Cel.: (11) 9 9612-9542 / E-mail: carv4@terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário